expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
Não sou princesa, acordo descabelada.
Sou desastrada, não sei rir baixo e não respiro pra falar. Sou assim, sei lá... Mas de uma coisa eu tenho certeza: SOU ABENÇOADA!

quarta-feira, 23 de maio de 2012





O que seria de você sem mim? A mesma pessoa que foi antes de me conhecer. Eu não me chamo oxigênio.
Vivo muito bem sem você, a questão é que eu não quero. Você não é o gás da ultima coca-cola do deserto. Existem outros tipos de pessoas mais agradáveis, implorando a Deus para que mande uma pessoa exatamente do jeito que eu sou.

Tristeza, depressão.. Recuar, já! Ao nosso exercito vocês não servem. Somos um exercito de sentimentos bons! Os ruins são penetras, e temos que mandá-los embora agora. Antes que a presença do tal vire rotina e você passe a pensar que isso é normal e faz parte do seu dia-a-dia.
É essa a palavra-chave: rotina! Tudo o que vira rotina é quase impossível abandonar.


"Eu tenho um all star, esta guardado e a muitos anos não cabe no meu pé, não serve pra nada.
Tenho lembranças boas e ruins dele, mas hoje ele só comprime o meu espaço e me faz chorar cada vez que tento calça-lo. Acho que é porque a ficha sempre cai,  "eu cresci, e como eu cresci". Não só no tamanho, mas, em relação a tudo.

Hoje, fiquei olhando ele de novo. E os pensamentos foram longe, de pára-quedas caíram em cima de uma pessoa que não queria ser atingida. E algumas lágrimas rolaram, mas nada que a desculpa do cisco no olho não resolva. Essa desculpa esta mais ultrapassada do que o all star que não cabe mais nos meus pés.
Depois de alguns acontecimentos, fiquei pensando em jogá-lo fora. Afinal, pra que guardar lembranças que chamam minhas lágrimas para fora. Não quero isso!
Quero liberdade, quero meus sentimentos livres. O certo seria olhar e não sentir mais nada, mas acho que isso é impossível não só pra mim, mas pra muita gente. Então ele vai pro lixo, decidi.
Quase na hora de jogá-los fora, os ouvi gritando: - "Não me deixe, eu sou o seu passado, olhe para  traz, olha por quanto tempo eu estive presente na sua rotina. Lembre-se de quantas vezes você olhou pra mim sorrindo e chorando ao mesmo tempo. Eu não posso ir. Não te faço bem, mas não te faço mal. Então deixe-me aqui."

Por um momento pensei em jogá-los fora novamente, mas decidi deixá-los por lá mesmo. O espaço estava vazio e eu não queria preenchê-lo com outro sapato, porque me traria um sentimento de "traição".
Ele voltou pro seu lugar e eu voltei pra minha rotina.."



Meu bem, já pensou que isso pode estar acontecendo com você? O que o seu coração vive te pedindo pra deixar no lugar e o cérebro insiste em te pedir pra retira-lo de lá? Quantas vezes o cisco vai cair no seu olho? 
Ouvir o coração é bom, mas a razão quase sempre tem razão. Entendeu?
Se for realmente um sapato que esta te apertando, doe. Se o sapato for uma metáfora, jogue-o fora.
Acumular sentimentos acaba entupindo as veias da alma. E eu acho que você não quer infartar, não é mesmo?
Se você esta com alguém ou alguma coisa que te deixa em cima do muro, tipo: Não fede, nem cheira. Procure uma utilidade prestativa pra isso, se não tiver: Fora!!
Seja uma pessoa objetiva e dispense rodeios. "Serve? Sim. Então fica! - Serve? Não. Então sai."
Não pense muito. As vezes pensamos tanto, planejamos tanto e nada sai conforme o combinado.

DESAPEGA, QUE O VENTO LEVA.
É raríssimo encontrar pessoas insubstituíveis. Se você não sabe como definir, descarte as pessoas que te faz em sofrer e as monótonas. O que não acrescenta não faz falta.
Dá um tempo da rotina antiga. Acho que a única coisa que não dá pra se livrar é dela! A rotina.
Se você se aventurar todos os dias, vira rotina. Então não perca tempo tentando se livrar dela. (Se você não   pode vencê-la, junte-se a ela).
Você não sabe qual vai ser o seu último dia de vida, certo? Mas não é por isso que devemos "aproveitar" loucamente. Todos os dias são únicos e especiais, mesmo aqueles dias chatos. Dias ruins são necessários para os bons valerem apena.
Então é isso. Acho que consegui mandar a mensagem. Vejo copos cheios e pessoas vazias. Rindo alto e forçando alegria, como diz o Emicida.